outubro 01, 2014

Entrevista Agora é Tarde

Quer ver minhas outras aparições na TV, no Jô Soares e nas revistas VIP, Playboy, Marie Claire? Nos jornais Folha de São Paulo, Zero Hora e em várias outras publicações? 




setembro 29, 2014

Rio de Janeiro aqui vou eu!

Apressem-se pra marcar alguma sessão. Fico muito pouco tempo, já tenho trabalhos incríveis agendados e provavelmente marque só dois horários (só mesmo!).
Portanto capricha no email de apresentação, no tributo e nada de desrespeitar minhas restrições. A agenda é disputada.
Clique aqui pra marcar!

by Jefferson Ramos

setembro 22, 2014

Meu namorado quer ser meu escravo, mas eu não gosto da ideia!

Pergunta:
Tenho 19 anos e um namorado maravilhoso, que eu sou muito apaixonada. Meu namorado é pessoa mais gentil, doce e carinhosa que conheci há algum tempo e sei que ele realmente se preocupa comigo, e isso é totalmente recíproco. A coisa é que ele tem alguns fetiches loucos... não exatamente loucos, mas ele realmente gosta de fazer coisas como BDSM, onde ele quer a ser meu "escravo". Eu não sei muito o que fazer. Mas hoje ele me enviou uma lista de coisas por email; tipo... várias maneiras de torturá-lo como meu escravo, um monte de "humilhações", punições, etc. Eu me senti esquisita porque não é algo que eu tenha vontade de fazer com ele. Eu tenho só 19, ele 18, e quero ter um relacionamento normal, não todas essas coisas estranhas. Talvez quando eu for mais velha. Então, minha pergunta é: como eu digo isso a ele? Eu sei que se eu disser que "Eu não estou pronta para esse tipo de coisa", ou mesmo que eu não gosto, ele ia ficar sem graça e infeliz, sei lá... talvez deixasse de gostar de mim. Eu não quero fazer isso com ele! Eu realmente quero vê-lo feliz, mas se eu me sentir pressionada vou ficar péssima. Então, como eu deveria dizer a ele sem fazer ele se sentir mal? 

***

Muitas vezes um monte de falsas suposições podem feitas quando as pessoas falam sobre BDSM. Vou começar com um pequeno glossário para ter certeza de que estamos todos falando da mesma coisa!

setembro 08, 2014

BDSM e abuso: estabelecendo limites

Quando duas pessoas estão num encontro que envolva BDSM, imagine se um estranho entrasse no meio dessa cena. Alguém totalmente desavisado e que caiu de paraquedas certamente pensaria: é um abuso, uma violência. Pois sim, a ideia que vou trabalhar com vocês é o que está por trás da questão vulgarmente aceita:  BDSM "parece" abuso. Algumas práticas podem deixar hematomas, vermelhões e outros sinais físicos de dor. Por isso, um dos maiores medos que os baunilhas (pessoas de fora da comunidade BDSM) podem ter sobre o sadomasoquismo é que, mesmo consensualmente, o BDSM permita violência. Ou pior, pode usado como uma máscara para abusos.

agosto 16, 2014

Vamos nos empoderar DE VERDADE?

Oi meninxs! 

Estou muito feliz com a visita de vocês! Sim, sou procrastinadora e larguei o blog de mão um tempo... ok, ok... eu me justifico: entrei de cabeça no BDSM e isso me custou muito tempo, suor no latex, mente fervendo e muito aprendizado. Aqui no blog tem um pouco da minha trajetória e no meu primeiro livro eu conto um pouquinho da minha experiência como dominatrix profissional durante 10 anos. Foi - e tem sido - intenso.

O resultado? Sou uma nova mulher. Mesmo. Tenho amor pelo meu gênero, autoconfiança, me sinto linda do alto dos meus 36 anos, autosuficiente, na irmandade com outras mulheres, venci a timidez e hoje presto muito mais atenção ao que MERECE  a minha atenção e energia.


BDSM é pra todo mundo. E o FemDom um mecanismo de empoderamento feminino transformador. To começando a bater esse papo aqui gente, no blog mesmo. Um lugar mais dinâmico, mais pinga-fogo...e espero a opinão, mete-colher, afronta, parabéns, correções e participação de todxs aqui no *Guia pra empoderamento na prática*!



Toda mulher pode entrar no mundo dos fetiches e do BDSM. 


Não precisa empunhar um chicote nem se vestir de couro pra se beneficiar desse mundo, sabia? 


Sentir-se poderosa é necessário.

Estou muito intrigada com as perguntas e prometo uma coisa: Ser muito sincera e não passar a mão na cabecinha de ninguém. SINCERIDADE com leveza (pode? poooode!) é por aqui mesmo. É disso que a gente precisa. Tem dúvidas? Manda brasa!


agosto 12, 2014

Texto de Colaborador: Sobre o nascimento do SSC e as confusões com relação à aplicação deste termo no BDSM (S/M) contemporâneo

*Colaboração da Érica Araújo 

Como interessada no mundo BDSM há anos e pesquisadora do tema, especialmente tendo por base a literatura produzida por grupos como os Leatherman, GMSMA (Gay Male S/M Activists) e por autores como Jay Wiseman, Ambrosio, David Stein e outros, tem me incomodado a forma como más traduções e o desconhecimento da trajetória do SM (que hoje convencionamos chamar de BDSM) levam a praticantes desinformados e de comportamento temerário.

Obviamente que não farei uma generalização. Possuímos no Brasil grandes praticantes, renomados, de quem ninguém poderia desclassificar a postura como antiética ou temerária. Há os que empreendem esforço educacional visando uma espécie de direcionamento para os novatos, tanto para que estes consigam determinar como e onde encontrar a satisfação de seus desejos, quanto para evitar que caiam nas mãos de maus praticantes colocando a si mesmos em risco.

Não trato destes.