Masoquismo para Masoch


Nos romances de Masoch, o protagonista não somente idealiza o carrasco como também formaliza, através do Contrato, como o protagonista/masoquista deseja ser tratado. 


Interessante a natureza do Contrato. O masoquista só existe se existe uma relação entre ele e alguém - nesse caso, um algoz idealizado. 

Mais interessante ainda é o prazer do masoquista: o processo sofrido, em si, de sacrifício pessoal, para manter-se afastado de tudo que possa revelar que o tal algoz é, apenas, um ideal estético. Contrato e dor contribuem pra manutenção desse estado ficcional e auto-centrado. A idealização é essencial e o masoquista se relaciona com sua própria mente.

Os fãs são os masoquistas da nova era. Um tipo deles, claro. O tipo que emerge da cultura pop. 
Fala aí Tom Zé masoquistão!

video

Nenhum comentário:

Dommenique Luxor. Tecnologia do Blogger.