Texto de Colaborador: Sobre Crossdressing: Você sabe o que é?

Homens que se vestem com roupas femininas. Esta é a primeira definição que muitos tem a respeito do crossdressing, mas na verdade este conceito vai muito além disto. 

É muito comum as pessoas cometerem o erro de confundir crossdressers (CDs) com travestis. Na verdade, crossdresser é um indivíduo que veste-se com roupas do sexo oposto, ou seja, isto não é uma pratica exclusiva aos homens, há também mulheres CDs.

E por que essa prática? As razões são as mais diversas possíveis, as mais comuns estão ligadas à questão sexual. Envolvendo fantasias, fetiches, brincadeiras, curiosidade, etc. Portanto é errado afirmar simplesmente que uma CD é gay, pois há crossdressers hétero, homo e bissexuais. E o fato de um homem hétero vestir-se de mulher, não fará com que passe a gostar de outros homens.

Muitas CDs gostam de se "montar" para explorar a sua sexualidade. Para elas o prazer reside em parecer o mais feminina possível. Outras também buscam incorporar a prática em seus relacionamentos afetivos ou ocasionais. Algumas podem até descobrir a transsexualidade através do crossdressing. Em geral, todas adotam um pseudônimo (ou até mesmo nome) feminino e as produções podem variar, da utilização de apenas algumas peças de vestuário a uma montagem completa (maquiagem, roupas, sapatos, perucas, lingerie, etc). O crossdressing também pode ser incorporado a práticas de inversão de papéis, feminização, dominação e submissão.

Varia também a época em que as CDs iniciam o crossdressing. Muitas começam na infância ou adolescência, usando (escondidas) as roupas das suas mães, irmãs, tias, etc. Outras descobrem mais tarde. Mas em sua grande maioria, o crossdressing é praticado de forma oculta da família, colegas e amigos, pois grande parte das CDs tem medo que isto possa prejudicar a sua vida e carreira devido ao preconceito que existe (infelizmente) na sociedade. Há também CDs que praticam escondidas de suas parceiras, pois têm receio de que isto não será tolerado por elas. Porém, existe uma minoria que consegue tornar pública esta prática.

O crossdressing mostra não só a diversidade sexual, mas também comportamental, que existe na nossa sociedade. E talvez também nos mostre o quanto ainda temos a aprender sobre o ser humano.


Alguns termos usados no crossdressing:

- S.O.: Do inglês, Supportive Opposite ou Supportive Other. É a pessoa do sexo oposto que entende e apóia a CD no seu crossdressing. Pode ser sua esposa, namorada, amiga, irmã, etc.

- CD: Crossdresser

- "Se montar": é o processo de se vestir com roupas do sexo oposto, se maquiar, etc.

- En femme: estar montada.

- Sissy: homem feminizado, pode ser uma CD geralmente submissa

- PURGE: É o termo utilizado quando a vontade de se montar decai e o sujeito passa por um longo período sem praticar. Durante este período, ele pode se desfazer das roupas e acessórios.

- URGE: É o termo utilizado quando a vontade de se montar está latente. É durante esse período que o indivíduo se monta com freqüência e realiza compras de roupas e acessórios.

- SAPO: Designa o momento em que o indivíduo está vestido de homem, com referência aos contos de fadas quando o sapo é beijado e se transforma em um príncipe, no caso a CD se transforma em princesa.

- CD Session: Reunião entre duas ou mais amigas CDs para a prática do crossdressing. Uma CD Session pode ser feita também entre uma CD e uma S.O.

- GG: Do inglês, Genetic Girl. Mulheres que nasceram mulheres.

- Crossplay: variante do cosplay, um homem caracterizado como uma personagem feminina ou uma mulher caracterizada como um personagem masculino.


Colaborando aqui:












Quer colaborar com seu texto também? Envia pra mim aqui nesse link!

2 comentários:

  1. Olá Dommenique,
    Parabéns pelo ótimo texto, que explica de uma forma bem didática a prática do Crossdressing. O importante é isso, divulgar de forma simples, aquilo que nossa sociedade ainda considera algo difícil de compreender.
    Felizmente, de algum tempo pra cá, programas de televisão tem abordado o tema com maior profundidade e maior seriedade, o que ajuda, não somente esclarecer, mas divulgar mais essa prática que a mais de um século se tem registro.

    Beijos,

    Sttefanne Camp
    Campinas-SP

    ResponderExcluir
  2. Olá Dommenique,
    Amei tudo que li esta certíssima...sou cd a 15anos e ja passei por todas a essas fases mais....sendo uma CD hoje completa não consigo e nem quero mais deixar.....hoje a kamilla faz parte de minha vida e não vivo mais sem ela...
    se alguem quizer um contato meu skype: kamillacdzinha@hotmail.com email
    bjim
    kamillinha

    ResponderExcluir

Dommenique Luxor. Tecnologia do Blogger.