Dirty, Dirty, Dirty

Em 1854, Arthur Munby fazia expedições regulares pela cidade para investigar mulheres trabalhadoras, com um viés fetichista muito peculiar: seu interesse era pela sujeira que essas mulheres limpavam. 

Mais precisamente em 26 de maio de 1854, Arthur Munby conheceu Hannah Cullwick. Ela era uma copeira, uma empregada doméstica para todo e qualquer tipo de trabalho, e seu tamanho, porte e a "nobreza de caráter" que, segundo ele, era essencial nas mulheres trabalhadoras o impressionou. Este primeiro encontro, a obsessão fetichista de Arthur para a sujeira e a preferência de Hannah para os cargos de serviço no degrau mais baixo não parece a cena vitoriana mais erótica, mas é real. A relação se transformou numa bem definida relação mestre / escravo e num casamento secreto em 1873. Nessas fotos, vemos Hannah Cullwick em várias formas, incluindo o de uma empregada doméstica, uma senhora, uma copeira e um escravo negro.


 
Cullwick orgulhosamente referia a si mesma como escrava de Munby, a quem chamava de "Massa". Durante a maior parte de sua vida, ela usava uma pulseira de couro em torno de seu pulso direito e uma corrente chaveada em torno do pescoço, e obviamente apenas Munby tinha a chave. Ela escreveu cartas quase diárias para ele, descrevendo suas longas horas de trabalho pesado e degradante numa riqueza de detalhes espantosa pra quem não entende o deleite de Munby ao saber que sua escrava estava envolta em tanta sujeira. Convidando-o a visitá-la e ver no corpo dela a porcaria resultante de um dia inteiro de limpeza e trabalho doméstico. Ela tinha um interesse particular em botas, na limpeza perfeita de centenas a cada ano, às vezes lambendo-as. Ela disse uma vez a Munby que poderia adivinhar por onde seu "Massa" havia andado apenas pelas sujeira das botas que ela provou.

Literatura e Cinema

Baseando-se em seus diários, cartas e fotografias Munby de Hannah, Diane Atkinson escreve sobre o lado mais selvagem da sexualidade vitoriana. Love and Dirt: The Marriage of Arthur Munby and Hannah Cullwick, é a história de um amor profundo e duradouro entre duas pessoas extraordinárias que romperam as barreiras de classe e tabus, colocando em risco suas posições opostas dentro da rígida sociedade vitoriana.

On my Knees foi escrito e dirigido por Kim Wood em 2003 partir dos diários secretos de Cullwick, a fetichista vitoriana e "serviçal-para-toda-obra", rs.


Nenhum comentário:

Dommenique Luxor. Tecnologia do Blogger.