Testosterona, agressividade, dominância

Um texto bem legal que indica a fraca ligação do hormônio à agressividade pura. Alguém torna-se mais violento e dominante por que tem altos níveis de testosterona ou seu comportamento aumenta esses níveis? 

"Por exemplo: independentemente do sexo, a maioria dos prisioneiros violentos possuem níveis mais altos de testosterona que seus pares mais dóceis. No entanto, cientistas discutem se essa violência não seria apenas uma manifestação de um desejo muito mais biológica e reprodutivamente saliente por domínio. 'Já foi sugerido que os comportamentos anti-sociais relacionados a níveis altos de testosterona seriam uma maneira de manter a dominância nesses grupos', conta Robert Josephs, da University of Texas em Austin.
Em outras palavras, se os pesquisadores estudassem outros tipos de pessoas, como os ricos e famosos, por exemplo, poderiam descobrir que a testosterona não está ligada à violência, mas ao fato de quem dirige o carro 

mais bacana ou tem o gramado mais bonito. Como Josephs disse, 'Talvez atacar o vizinho com uma pá funcione na penitenciária, mas não contribuiria para seu status em um bairro de ricos'."

Continua aqui.

2 comentários:

  1. Algo a este respeito que eu não depreendi do texto é o discernimento entre a agressividade posta em prática e aquela que é contida na mente e que nunca se evadirá de lá -- seja por covardia, medo, traumas, taboos, bloqueios, condicionamentos... Podendo quem sabe nem ser percebida por quem a contém...
    Eu sinto que se a testosterona tiver o papel é mais no que tange a transformar vontade/sentimento em ação (mas não despertar pensamentos, sonhos, fantasias, reflexões).

    ResponderExcluir

Dommenique Luxor. Tecnologia do Blogger.