Hurrell and The Golden Age of Glamour

Nascido em Cincinnati, Ohio, George Hurrell inicialmente estudou pintura. Seu interesse na fotografia era apenas usá-la como um meio para a produção de suas telas. Após mudar-se para Laguna Beach, Califórnia, começou a fotografar pessoas como um hobby. No final da década de 1920, Hurell foi apresentado ao ator Ramon Novarro, que decidiu fazer uma série de fotografias. Novarro ficou impressionado com os resultados e mostrou-lhes à atriz Norma Shearer, que estava tentando moldar sua jovem imagem em algo mais glamouroso e sofisticado. Pediu a Hurrell para fotografá-la em poses mais provocantes do que as que seus fãs tinham visto... e claro, depois as mostrou ao maridão Irving Thalberg. Thalberg ficou tão impressionado que assinou com Hurrell um contrato com a MGM Studios, tornando-o chefe do departamento de retratos.
Durante a próxima década, Hurrell fotografou cada estrela contratada para a MGM, e seus impressionantes preto e branco foram amplamente utilizados na comercialização destas estrelas. Entre os artistas regularmente fotografados por ele durante esses anos estão Dorothy Jordan, Greta Garbo, Myrna Loy, Robert Montgomery, Jean Harlow, Joan Crawford, Clark Gable, Carole Lombard e Norma Shearer, que disse ter recusado ser fotografada por qualquer outra pessoa.

No início dos anos 1940 Hurrell mudou-se para a Warner Brothers Studios, onde fotografou Bette Davis, Ann Sheridan, Errol Flynn, Maxine Fife, Humphrey Bogart e James Cagney. Mais tarde mudou-se para Columbia Pictures, onde suas fotos foram usadas para ajudar a construir a carreira de Rita Hayworth.
Mas era época de Grande Guerra, e Hurrell deixou Hollywood para fazer filmes de treinamento para o Exército dos Estados Unidos. Quando voltou a Hollywood em meados dos anos 1950 seu velho estilo de glamour tinham caído em desgraça. O estilo de Hurrell - e de toda Hollywood da década anterior - fabricava uma imagem idealizada de grandes estrelas, uma verdadeira constelação da qual simples mortais apenas ousavam sonhar. Mas quais sonhos resistem a duas Grandes Guerras? O mercado cinematográfico percebe que, naquele momento, sonho explícito não aumenta a bilheteria e o artista não é mais considerado um inovador.

É inconfundível, temporal. Acho que você nunca viu um dos filmes dessa época, mas reconhece essa estética de longe. Graças - e palmas - ao Senhor George Hurrell!

Nenhum comentário:

Dommenique Luxor. Tecnologia do Blogger.